A importância do Pai na gestação

por

por Márcio Ferreira | Psicanalista

Ao pensarmos em gestação, os olhares logo se voltam para as Mães e para os bebês, neste respeitoso momento logo associamos: cuidado, conforto e segurança.

Este olhar representa o Pai que temos dentro de nós, e essas necessidades da futura mãe são essenciais para uma gestação tranquila e saudável e pode ser uma base para que este bebê se torne autônomo, sustentável e de bem com a vida.

Um homem e uma mulher, numa completa fusão têm uma descarga de energia vital e com a mesma completude um espermatozoide se funde com um óvulo. O propósito milenar da existência da raça humana é cumprido quando um homem e uma mulher se transformam em PAI e MÃE.

O Pai fornece, ao espermatozoide, o mesmo que recebeu de seu pai: força, coragem e genealogia. Esta é a proteção que o pai dá ao bebê para enfrentar o desafio, e num ato de amor, permite que estes espermatozoides achem seus próprios caminhos em busca do sucesso.

A mãe acolhe este espermatozoide, oferecendo a ele um ambiente confortável e seguro: o óvulo, para que haja uma fusão genética que irá formar a primeira célula do novo ser.

O filho herda o legado dos pais de que é formado de 50% do pai e 50% da mãe. Este momento é singular na vida de cada um, pois se ganha um bem precioso: A VIDA.

A gestação continua e fisicamente as representações de acolhimento, cuidado e segurança irão aparecer de várias formas: implantação do óvulo na placenta, formação da bolsa amniótica, ligação do cordão umbilical e outros.

A ligação entre a mãe e o bebê fica cada vez mais intensa e através desta conexão os sentimentos e sensações das mães são passadas para os bebês.

A presença do pai estabelece um limite nesta ligação para que o bebê consiga separar suas emoções dos sentimentos que pertencem à mãe e continuar seu desenvolvimento e vivências, criando sua singularidade.

A presença do Pai é importante para que o bebê sinta esta força que tem dentro dele, mas nem sempre ela precisa ser física, pois o pai por algum motivo pode não estar presente, mas dentro do bebê a força do pai é essencial para o seu desenvolvimento e deve ser sentida durante a gestação tanto pelo bebê quanto pela mãe.

A relação da mãe internamente estabelecida com o pai e como ela interpretou esta força em sua gestação e parto, será importante para que o bebê possa sentir sua própria força.

A Psicoembriologia irá trabalhar, estas questões dentre outras, as representações paternas no bebê e na mãe para que este nasça íntegro e saudável.

O parto é um importante trabalho. A mãe usa a força que herdou do seu pai para desencadear uma sucessão de eventos que culminará no nascimento.

Já o bebê, com a força de seu pai, enfrenta este desafio com naturalidade em busca do desconhecido para sair de um mundo confortável e conquistar sua vida.

Este momento representa um marco para a formação do bebê e estas interpretações farão parte de suas escolhas e ações futuras.

O QUE ACHOU DA POSTAGEM?

    últimas postagens

    A base de tudo

    por Equipe IBCP Psicanálise
    Há muitos séculos, estudiosos já mencionavam em seus escritos, a existência de uma considerável movimentação do bebê dentro do ventre materno e uma possível ligação emocional entre ambos, mãe e filho. Essas observações, a princípio intrigantes e objeto de interesse por muitos pesquisadores nos tempos seguintes, teve sua comprovação somente por volta do século XIX […]
    Leia mais+

    A Fadiga do Retorno

    por Roseana Coelho / Psicanalista
    A recente retomada das atividades presenciais tem causado vários efeitos psíquicos, dentre eles ansiedade e especialmente cansaço. Em 2020 foi preciso uma adaptação rápida, sem preparo, para uma situação não vivenciada antes, de enclausuramento, distância da vida do modo que era conhecida e um estado de alerta constante. Agora, dois anos depois, é preciso retomar, […]
    Leia mais+
    LEIA TODAS AS POSTAGENS