O XI Simpósio de Psicanálise

por

” A construção de uma linguagem: da Torre de Babel à Psicanalise”, mostrou a importância da palavra como um bem indizível para tornar o homem, um sujeito de apropriação de seus atos com responsabilidade. E agora, regente da vida, toma pulso e tento, atravessa os desertos para dialogar com seus fantasmas. Que a linguagem, tema do Simpósio, se expresse, deixe de ser retalho. Sim, o simpósio foi um banquete socrático, em que a palavra, seja lúcida, tenha um mínimo de claridade, e o diálogo não seja, tão prenhe de molambos, que o intuito da linguagem despossua o ronco da covardia.

O Simpósio encerra -se com a fala do prof. Anderson Barros

Mário Cezar Queiroz
Psicanalista

O QUE ACHOU DA POSTAGEM?

    últimas postagens

    A base de tudo

    por Equipe IBCP Psicanálise
    Há muitos séculos, estudiosos já mencionavam em seus escritos, a existência de uma considerável movimentação do bebê dentro do ventre materno e uma possível ligação emocional entre ambos, mãe e filho. Essas observações, a princípio intrigantes e objeto de interesse por muitos pesquisadores nos tempos seguintes, teve sua comprovação somente por volta do século XIX […]
    Leia mais+

    A Fadiga do Retorno

    por Roseana Coelho / Psicanalista
    A recente retomada das atividades presenciais tem causado vários efeitos psíquicos, dentre eles ansiedade e especialmente cansaço. Em 2020 foi preciso uma adaptação rápida, sem preparo, para uma situação não vivenciada antes, de enclausuramento, distância da vida do modo que era conhecida e um estado de alerta constante. Agora, dois anos depois, é preciso retomar, […]
    Leia mais+
    LEIA TODAS AS POSTAGENS